Chevrolet Corvette C1: À Conquista do Mundo

Três Anos depois do seu lançamento o Chevrolet Corvette luta pela sobrevivência, as vendas desiludem e a General Motors anuncia a sua intenção de pôr fim à sua produção. Defendido por Harley J. Earl e Zora Arkus-Duntov, o Corvette vai ser profundamente renovado. Chegou a hora da Chevrolet admitir os seus erros e corrigi-los, para que o seu desportivo encontre enfim o caminho do sucesso.

Para grandes males, grandes remedios! As vendas em 1955 são catastróficas. Em três anos a GM não conseguiu atingir as 5000 unidades produzidas, o Corvette revela-se um fiasco. O seu futuro está comprometido, mas o gigante americano não quer dar o braço a torcer face aos seus concorrentes, que lançaram modelos que rivalizam com o Corvette e obtiveram o sucesso.

A Ford e o seu bem-sucedido Thunderbird, a Mercedes levanta voo com o 300 SL e as suas portas « asas de gaivota » e até a BMW que conquistou Elvis Presley com o seu 507. A Chevrolet vai ter que repensar profundamente o seu roadster.

O Corvette de 1956 difere do seu antecessor. Embora tenha um chassis idêntico e mantenha assim praticamente as mesmas dimensões, este apresenta novas linhas mais agressivas e desportivas. A carroçaria continua em fibra de vidro, mas apresenta uma nova frente com novos faróis, assim como, painéis laterais e portas côncavas. Com esta nova carroçaria é possível optar por uma pintura com duas tonalidades, mais cromados e ainda tem a possibilidade de transformar o Corvette em coupé com um “hard top”.

Chevrolet Corvette 1957 – foto: artcurial

Uma evolução não podia ser completa sem um novo motor. O novo V8 conhecido por “Turbo Fire”, não é mais do que um argumento de marketing, pois este era atmosférico. Com este novo motor o Corvette vê a sua potencia chegar aos 210 cv.

Velocidade de cruzeiro

As vendas desta nova versão permitem à Chevrolet de respirar, pois estas multiplicam-se por cinco. O ano de 1957 marca a chegada de mais desportividade e sobretudo de mais segurança. A partir de agora o Corvette vem equipado com cintos de segurança instalados no concessionário.

Quanto a motores, os engenheiros concentraram-se no novo motor V8 Small Block que vê a sua cilindrada aumentar para 283 ci, disponível com quatro níveis de potencia podendo chegar aos 270 cv. Este é também o ano em que chega a injeção, o que traz um novo acréscimo de potencia. Agora pode dizer-se que as prestações do Corvette podem bater-se de igual para igual com os seus concorrentes.

O Corvette encontrou enfim o caminho do sucesso. No ano de 1957 foram vendidos tantos veículos quanto os últimos três anos juntos. Mas é necessário ir mais longe, pelo que o Corvette vai receber uma nova atualização.

Esta será uma das atualizações mais profundas, para se diferenciar da concorrência o Corvette de 1958 adopta uma frente composta de ópticas duplas e de uma nova grelha frontal, tal como o Cadillac Eldorado. Para reforçar o luxo e a opulência, os cromados estão cada vez mais presentes, nas entradas de ar laterais fictícias, assim como nos novos para-choques dianteiros e traseiros.

Para satisfazer o ego dos seus clientes, a marca colocou um taquímetro graduado até 160 mph (257 km/h). Mesmo sabendo que o Corvette é incapaz de atingir tal velocidade, os condutores acham gratificante que tal esteja indicado.

Depois de três anos coroados de sucesso, a Chevrolet modifica em profundidade o seu desportivo. Evoluções estilísticas, assim como técnicas que confirmam a vontade da General Motors de propor o melhor roadster desportivo americano.

Uma vez mais o estilo evolui, agora é a traseira a sofrer as principais alterações. Os dois faróis traseiros, têm agora uma posição horizontal, o que marcará a assinatura luminosa para as próximas gerações. Com estas evoluções o Corvette apresenta-se cada vez mais agressivo e desportivo.

Chevrolet Corvette de 1960 que participou no 24 horas de Le Mans.

O último ano de comercialização da primeira geração é marcado pela chegada do legendário motor 327 ci (5360 cm3) que disponibiliza uma potencia de 250 a 360 cv. Depois de 69015 unidades vendidas em oito anos o C1 chega ao fim. A aventura Corvette vai continuar com o novo C2.

Vive a tua paixão!

One thought on “Chevrolet Corvette C1: À Conquista do Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s