E o Primeiro Automóvel para Portugal vai para…

Se Portugal não é um país com tradição na construção de automóveis, não quer isso dizer que não se vive a paixão automóvel intensamente, tendo sido importado o primeiro veículo logo no ano 1895, ainda a indústria dava os primeiros passos. Este chegou pelas mãos do Conde de Avilez, de Santiago do Cacém, tendo protagonizado algumas peripécias na sua viagem inaugural.

Após uma viagem a Paris, D. Jorge de Avilez comprou um veículo revolucionário na época – o automóvel. Tratava-se de um Panhard & Levassor, era um carro com uma arquitetura que se tornaria um clássico. O Panhard contava com um motor dianteiro bicílindrico em V de 1290cm3, potência de 4 CV a 750 rotações por minuto, podendo atingir a estonteante velocidade (para a época claro) de 20Km/h.

Ao chegar a Lisboa, o Panhard & Levassor protagonizou a primeira peripécia, pois na Alfândega ninguém sabia classificar a mercadoria para poder aplicar a taxa de importação . Seria uma máquina agrícola ou uma locomobile (máquina a vapor)? Decidiu-se pela segunda hipótese.

Panhard & Levassor em Santiago do Cacém comemorando os 120 Anos da sua viagem

Depois de montar as várias peças e colocar em marcha o seu motor de explosão numa oficina de carruagens da baixa lisboeta, o carro estava pronto para iniciar a sua viagem até Santiago do Cacém, que iria durar três dias. A sua primeira etapa foi até Palmela, onde vai ser protagonista do primeiro acidente de viação em Portugal. Á entrada da vila, surge um burro teimoso no meio da estrada e o choque foi inevitável . O atropelamento provocou a morte do animal e o dono do burro foi imediatamente recompensado pela quantia de 18 mil réis, o triplo do valor do animal naquela época.

Em 1895, e como não existiam estações de serviço nesta altura, na hora de abastecer, o seu proprietário resolveu atestar petróleo de iluminação em vez de benzina. Resultado: o carro engasgou – se e parou; foi necessário limpar o motor e o depósito para que o veículo voltasse a rodar.

A chegada do excêntrico veículo a Santiago do Cacém causou sensação e espanto entre os habitantes da pacata localidade alentejana.

Diz-se que D. Jorge utilizava regulamente o seu automóvel para as suas deslocações a Beja e Évora. Estas viagens eram autênticas aventuras pela quase inexistência de estradas dignas desse nome e bastante difíceis, pois  o carro estava equipado com rodas de madeira e aros de aço como as carruagens e o conforto não abundava.

Panhard & Levassor no Museu dos Transportes e Comunicações

Depois de vários proprietários, o Panhard & Levassor é hoje propriedade do Automóvel Clube de Portugal e podemos encontrá-lo no Museu dos Transportes e Comunicaçõesno Porto. Se for ao Porto, não deixe de lhe fazer uma visita, eu já pus na minha agenda.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s